segunda-feira, 17 de maio de 2010

Pulando numa poça d'àgua


-Vamos dar uma volta por aquela ruazinha ali de lado?
-Qual?
-Aquela bem bonita, que tem ruas de pedra, umas casinhas estilo americano, e que na primavera fica toda rosada com as folhas dos jambeiros caídas pelo chão.
-Ah, vamos sim! Estou precisando mesmo de um lugar bonito, tô me sentindo tão feia por dentro, Abgail.
-Você não pode ficar assim Clarinha, não se deixe levar pelos pensamentos ruins.
-Eu sei, eu sei. É que tem horas que não tem como ficar bem e... Poxa! Essa rua é mesmo linda!
-Não é? Sou apaixonada por ela. Eu a acho tão cinematográfica!
-E é mesmo!
-Uns carros antigos aqui, e ficava com cara de anos 70!
-Você adora coisas antigas não é?
-Adoro!
-(...)
-(...)
-Interessante, eu costumo ver tudo como filme!
-Eu também Clarinha! Eu vejo toda a minha vida, tudo o que eu faço, como se estivesse em um filme.
-Isso mesmo! Isso mesmo! Eu faço a mesma coisa!
-(...)
-(...)
-Sabe, hoje de manhã eu tava pensando sobre como estou agora. Ultimamente, tenho me sentido tão bem...
-Verdade Abgail! Você chega está com outra cara, outra aura!
-É, em pensar que há seis meses atrás eu tava fudida! Não tem outra palavra! Completamente no fundo do poço, lembra?
-Nem lembra disso!
-Tava lembrando que há cinco meses atrás eu tava sentada num chão de banheiro me cortando com uma tesoura, fazendo marcas no meu corpo só pra me sentir viva. Me sentia morta por dentro.
-Não lembra disso Abgail, não lembra! Ainda bem que tu saiu daquela...
-E hoje em dia eu vejo o quanto é fácil me sentir bem, sabe?! O quanto é bom estar viva, e eu estou viva. Muito bem vivinha! E naquele tempo parecia impossível isso! Eu sei que pode até parecer muito Amélie, mas eu fico bem agora só em desfrutar pequenos prazeres, como uma conversas dessas, por exemplo, ou até pular numa poça de água, ou mesmo, fotografar!
-É. Quando a gente faz o que gosta tudo fica mais fácil, não é?! O Mundo parece mais bonito!
-Humrum. E também depende do seu paradigma, do jeito que você vê as coisas.
-É só lembrar que tudo passa! Tanto as coisas ruins, quanto as boas. Tudo!
-Exato! Com esse tempo ruim que passei, também aprendi a não criar expectativa sobre as situações, sabe?! Criar expectativas é uma merda! É assim que o baque se torna maior!
-Verdade. Eu tenho que lembrar disso!
-Eu me lembro todos os dias!
-(...)
-(...)
-Ei, uma poça d'água ali. Vamos pular nela?!
-Agora!

2 comentários:

  1. "-É só lembrar que tudo passa! Tanto as coisas ruins, quanto as boas. Tudo!"

    FATO.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom =D
    Fato!
    seguindo =*

    -Exato! Com esse tempo ruim que passei, também aprendi a não criar expectativa sobre as situações, sabe?! Criar expectativas é uma merda! É assim que o baque se torna maior!

    Fato

    ResponderExcluir