terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Estourar

Plástico bolha, estoure meus pensamentos.
Te aperto, te entrelaço entre os dedos,
querendo que minha cabeça esvazie.

Plástico bolha, não me aperta mais o sentido,
já não sei mais o que deixei no antes, o que queria pro futuro
ou o que ficou numa lista do agora.

Plástico bolha, te tiro o ar de dentro.
Mqe tira as promessa fajutas,
as tolices que acreditamos enquanto flutuamos sem direção.

Plástico bolha, me mata a fome,
me esquece a dor do amor,
do que não fui, do que não fiz, do que deixei pra depois
(e não alcancei)


e não alcancei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário