quarta-feira, 17 de junho de 2015

Breve inspiração sobre o que chamam de amor

Amor,
este pode ser:
poesia, inventada no coração de poeta;
música, tocada na mente diante de um violão;
cinema, pra fazer crer sua imaginação.

porém

Amar,
esse verbo infinitivo,
é mais que imaginação,
é mais que sonho,
é mais que palavras costuradas num papelão.
É conjugação em vários tempos,
É realidade.
É verbo de ação.


domingo, 14 de junho de 2015

Born to die


Perdoe.
Se tem uma coisa que eu posso dar de conselho nesses 25 anos de vida é esse: perdoe.
Pra mim sempre foi fácil perdoar, esquecer, apagar da memória as coisas ruins.
Mas com o tempo fui percebendo que nem sempre isso é fácil para muitas pessoas. E isso faz de você refém de um sentimento ruim, guardado, que bate na cabeça muitas vezes e te faz sofrer de novo, e de novo, só pela má lembrança.
Não guarde rancor.
Não guarde rancor dos outros, nem de você mesmo.
Perdoe tudo o que houve no seu passado, e comece de agora.
Comece de agora já perdoando os que irão errar com você no futuro.
Perdoe os amigos pelos erros, perdoe seus ex-namorados, perdoe o namorado da sua amiga que errou com ela.
Aceite que as pessoas erram. Aceite que você também erra, e vai continuar errando. Só quem não vive, não erra.
Perdoe a si mesmo.
Eu sempre fui uma cobradora de mim mesma. E ainda sou. Mas, de uns tempos pra cá, tudo o que eu tenho feito é me perdoar. Me perdoar por não tirar a nota que eu esperava na faculdade. Me perdoar por não ser uma filha exemplar. Me perdoar por ter feito alguém sofrer. Me perdoar por não ter atingido as expectativas que meus amigos tinham de mim.
Não crie expectativas. Crie, não tem como evitar: mas tente o mínimo possível cria-las, e saiba que elas podem não ser atingidas.
O perdão é o melhor caminho pra tudo. Ele te deixa mais leve, mais feliz.
Se perdoe. Perdoe a quem você ama, e errou com você. Isso acontece.
Só quem não arrisca, não erra. É preciso arriscar. A vida é uma só. É clichê tudo isso, mas necessário. Tudo isso vai acabar. Viva da maneira mais leve que puder.

E não se esqueça: Você nasceu pra morrer.