sábado, 26 de setembro de 2015

Faz verão no lado de dentro da dúvida


Mil revoluções lunares
me tiram de órbita e me levam prum rumo outro.
No tempo que fazia frio do lado de dentro
e, então, fechei a janela tão apertada que só o que sinto agora é o bafo da vida.
Tô agachada num canto, meio perdida, meio achada
esperando uma carta de tarô que acerte meu destino,
pr'eu poder deixar de me perder
nesses ônibus que não param de fazer voltas pela cidade.
Nesses tempos, pego um sem direção
e deixo pra trás, apagada, a certeza de não poder ter dúvida,
e, na dúvida, vou morar de vez.

Nenhum comentário:

Postar um comentário